Os benefícios de investir no ensino de programação e robótica desde cedo
27
Ter, Jun

Os benefícios de investir no ensino de programação e robótica desde cedo

Ensino de programação e robótica
Notícias EAD
TIPOGRAFIA

Ao serem expostas, desde cedo, à linguagem de programação e ao conhecimentos de robótica, as crianças descobrem que em vez de passar o tempo apenas jogando na internet, são capazes de criar o próprio game.

Ao serem expostas, desde cedo, à linguagem de programação e ao conhecimentos de robótica, as crianças descobrem que em vez de passar o tempo apenas jogando na internet, são capazes de criar o próprio game.

Em uma sociedade cada vez mais tecnológica, não surpreende que as crianças adquiram precocemente desenvoltura para manusear aparelhos eletrônicos (sejam smartphones, tablets ou notebooks). Por isso, de olho nos futuros cidadãos, cresce o número de escolas que investem no ensino de competências digitais.

Ao serem expostas, desde cedo, à linguagem de programação e ao conhecimentos de robótica, as crianças descobrem que em vez de passar o tempo apenas jogando na internet, são capazes de criar o próprio game. E até ir além, projetando aplicativos e dispositivos eletrônicos.

O ensino de programação estimula muitas habilidades de extrema importância no decorrer da vida acadêmica e pessoal:

1 – Raciocínio Lógico: o aluno desenvolve o lado esquerdo do cérebro, que é responsável pelo raciocínio lógico, analítico e crítico. Isso acontece porque a criança é ensinada a pensar de forma estruturada, uma vez que é ela quem designa ações ao computador, por meio de códigos específicos.

2 – Criatividade: por meio da criação de games, a criatividade dos alunos é trabalhada para analisar, planejar, criar e executar um projeto, valorizando todas as suas etapas.

3 – Escrita: ao iniciar o projeto de um game é preciso, primeiramente, pensar e planejar as diferentes funções e variações que serão necessárias, assim como as que trabalharão em harmonia para que o projeto de fato funcione. O mesmo processo ocorre ao escrever uma redação. Afinal, as ideias devem ser organizadas e transmitidas em parágrafos de forma fluida e alinhada, como se fossem ações e códigos.

4 – Resolução de problemas: no universo da tecnologia é preciso seguir alguns padrões lógicos para se comunicar com eficiência e, caso uma sequência de códigos não seja desenvolvida corretamente, o projeto não responderá de acordo. Esse tipo de situação expõe o aluno à necessidade de buscar uma resposta efetiva para que possa concluir o desafio proposto.

5 – Organização: todas as habilidades estão correlacionadas e a organização não seria diferente, assim como o processo de pensar e planejar as ações para desenvolver um game ou uma redação. A organização é fundamental para atividades cotidianas, como planejamento de tarefas e atividades, estruturação de pensamentos e até mesmo para a maneira de estudar.

6 – Trabalho em equipe: por ser um exercício de persistência, os alunos, mesmo desenvolvendo individualmente seus projetos, são estimulados a compartilhar com os demais colegas seus erros e acertos e dessa forma trabalham juntos.

7 – Incentivo ao aprendizado de matemática, física e língua inglesa: com apoio pedagógico para elaborar todo o material didático, assim como a plataforma de estudo, os cursos de programação auxiliam na melhoria de desempenho em diversas disciplinas escolares, principalmente matérias com base em raciocínio lógico como matemática, física e inglês.

8 – Cidadania digital: mais do que serem apresentados aos conhecimentos básicos de uma linguagem que será utilizada em diversas profissões que vão além do mundo da tecnologia, os alunos aprendem que a internet não é uma rede totalmente segura e enxergam, na prática, como podem ser expostos às mais variadas ameaças e como se proteger.

A programação refere-se ao uso de uma linguagem de computação específica para desencadear as instruções de um dispositivo a ser executado. O processo e os conceitos da lógica, quando implementada por meio de código, trazem serviços digitais para a vida.

Porém, ensinar as primeiras linhas de código às crianças não significa que elas precisam saber como escrever ou ler as principais linguagens, como Python, Java e Ruby. A proposta é que compreendam a estrutura, a lógica e a interconexão das tecnologias e aumentem o interesse por esse tipo de conhecimento.

Fonte: A RedeEduca
Publicado em: 12/04/2017