App Palma Escola melhora alfabetização em Itatiba
16
Sab, Dez

App Palma Escola melhora alfabetização em Itatiba

APP para alfabetização
Notícias EAD
TIPOGRAFIA

Aplicativo educacional gratuito tem características apropriadas para uso por pessoas com deficiência

Aplicativo educacional gratuito tem características apropriadas para uso por pessoas com deficiência

No ensino fundamental, professores constaram melhora de aprendizagem.
Aprender a ler e a escrever é um direito e um grande desafio tanto para crianças quanto para quem só tem essa oportunidade quando já se tornou adulto. Além disso, a alfabetização é também uma missão trabalhosa para se dedica a ensinar. Esse desafio aumenta quando associado a alguma deficiência intelectual.

Para melhorar o atendimento a essa população, a Apae de Itatiba (SP) adotou o aplicativo Palma Escola, idealizado pelo professor José Luiz Poli. Segundo a orientadora pedagógica Kelly Vigato da Silva, há duas características da ferramenta muito importantes para o deficiente. Eles não podem passar para a próxima etapa enquanto não acertarem a atividade em que estão, pois a repetição é fundamental para o aprendizado deles; e não é necessário segurar com firmeza um instrumento. “Por conta da dificuldade motora de muitos dos nossos alunos, a ação de controlar o lápis exigia um esforço a mais na hora da alfabetização. Com o equipamento, eles apenas deslizam o dedo para fazer o exercício, assim podem focar melhor na demanda intelectual”.

O matemático Poli criou o programa Programa de Alfabetização na Língua Materna (Palma), que roda smartphones e tablets como ferramenta complementar na alfabetização de crianças, jovens e adultos. Em Itatiba, cidade paulista onde aplicativo foi implementado na rede municipal de ensino, os professores constataram uma melhora de 30% no aprendizado e uma redução de 50% na evasão escolar, em um ano de uso da ferramenta, tanto no Ensino Fundamental I quanto nas turmas de Educação de Jovens e Adultos (EJA), público que abandona o curso com mais facilidade.

Estruturação do Palma
O aplicativo está estruturado em cinco níveis que vão desde a apresentação da grafia e som das letras do alfabeto até a compreensão de frases e pequenos textos. Cada nível está organizado em módulos de conteúdos com atividades de aprendizagem e de fixação de conteúdo. Todas essas atividades dispõem de comandos que orientam o aluno no que deve ser realizado. Além disso, há atividades de caligrafia e jogos para integrar os conteúdos e, ao final, uma avaliação de nível. Ao término das atividades o aluno recebe uma nota que fica guardada na área administrativa do aplicativo. (Com assessoria de imprensa)

Fonte: ARede
Publicado em: 18/04/2017