Tecnologias digitais para inovar e transformar a Educação
16
Ter, Jan

Tecnologias digitais para inovar e transformar a Educação

Tecnologias digitais
Notícias EAD
TIPOGRAFIA

“Além de esforços na implementação e capacitação de educadores, o programa Letramento em Programação investe esforços na aproximação da comunidade escolar do processo de ensino-aprendizagem“, afirma Adelmo Eloy.

“Além de esforços na implementação e capacitação de educadores, o programa Letramento em Programação investe esforços na aproximação da comunidade escolar do processo de ensino-aprendizagem“, afirma Adelmo Eloy.

As tecnologias digitais são recursos importantes para garantir uma Educação de qualidade – é o que podemos concluir a partir das estratégias 7.12, 7.15 e 7.20, propostas pelo Plano Nacional de Educação (PNE). De acordo com as estratégias do plano, garantir o acesso de alunos e professores a tecnologias digitais e à internet é um caminho para se promover práticas pedagógicas inovadoras e ganhos na aprendizagem dos alunos em todos os níveis da Educação Básica.

Já em termos de infraestrutura, o cenário ainda é desafiador. Um levantamento feito pelo Instituto Ayrton Senna, em 2016, apontou que pouco menos da metade das escolas públicas tinham laboratórios de informática com acesso à internet. Por outro lado, iniciativas como a Política de Inovação Educação Conectada, dos Ministérios da Educação (MEC) e da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), apontam que, além de garantir uma estrutura adequada, também há um desafio adicional para concretizar ações de sucesso no âmbito das tecnologias para aprendizagem: a formação continuada de professores.

Nessa direção, um dos caminhos desenvolvidos pelo Instituto Ayrton Senna é o Letramento em Programação, iniciativa que promove por meio da prática da programação de computadores uma Educação Integral. O programa letra crianças e educadores de redes públicas para o mundo digital, garantindo suas capacidades de criar, utilizar e se expressar com as tecnologias digitais, de forma integrada ao desenvolvimento de competências importantes para o século 21, como colaboração, criatividade e resolução de problemas. Para isso, são propostas estratégias de formação docente, integração curricular, acompanhamento e avaliação das atividades em sala de aula das escolas participantes.

A implementação do projeto é realizada com a colaboração de Secretarias de Educação e Instituições de Ensino Superior (IES) e atualmente está em 10 municípios dos estados de São Paulo e do Rio Grande do Sul. No Rio Grande do Sul, inclusive, o programa foi precursor da criação de um Arranjo de Desenvolvimento da Educação – o ADE Norte Gaúcho –, estratégia proposta pelo Conselho Nacional de Educação e homologada pelo MEC.

Fonte: Estadão