Veja o que muda nos estágios em escolas para estudantes de licenciatura
17
Dom, Jun

Veja o que muda nos estágios em escolas para estudantes de licenciatura

Veja o que muda nos estágios em escolas para estudantes de licenciatura
Notícias EAD
TIPOGRAFIA

O MEC divulgou detalhes sobre a nova residência pedagógica, que oferecerá 45 mil bolsas de estágio supervisionado a estudantes que estejam na segunda metade do curso de licenciatura.

O MEC divulgou detalhes sobre a nova residência pedagógica, que oferecerá 45 mil bolsas de estágio supervisionado a estudantes que estejam na segunda metade do curso de licenciatura.

Por Ana Carolina Moreno, G1

O governo federal anunciou, na tarde desta quarta-feira (28), as mudanças em sua política nacional de formação de professores. A partir do segundo semestre, os estudantes de licenciatura contarão, além do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (Pibid), com mais um programa de formação, batizado pelo Ministério da Educação de residência pedagógica, além de novas vagas para cursos a distância de mestrado profissional e licenciatura pela Universidade Aberta do Brasil (UAB).

Os editais para a seleção das 190 mil vagas que serão oferecidas nos três programas para o segundo semestre de 2018 e o primeiro semestre de 2019 serão publicados na edição desta quinta (1º) do "Diário Oficial da União", segundo afirmou Carlos Lenuzza, diretor de Educação a Distância da Coordenação de Pessoal de Nível Superior (Capes), na coletiva de imprensa realizada na tarde desta terça. Lenuzza antecipou que o processo de seleção e divulgação dos aprovados será realizado até maio, para o início dos programas em 1º de agosto.

De acordo com a Maria Helena Guimarães, secretária-executiva do MEC, o Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (Pibid) não será cancelado, mas, a partir do próximo semestre, vai ser restringido apenas aos estudantes que estejam cursando os dois primeiros anos do curso de licenciatura.

Na segunda metade do curso, os estudantes poderão participar da residência pedagógica, que terá duração de 18 meses e uma carga horária de 400 horas de estágio supervisionado em sala de aula.

Maria Helena afirmou que o objetivo das mudanças é melhorar a qualidade de formação dos professores brasileiros, um dos fatores que, segundo ela, mais influenciam na melhora da aprendizagem dos alunos. "Os currículos em geral são muito extensos, não oferecem atividades práticas. Fazem o professor sair da faculdade sem estar devidamente preparado para enfrentar a sala de aula", disse ela.

De acordo com o MEC, a grande diferença entre o Pibid e a residência pedagógica é a proximidade dos estudantes de licenciatura com a escola: o Pibid seria uma "aproximação da realidade escolar", enquanto a residência se propõe a ser uma "imersão na realidade escolar".

Estágio já é obrigatório na licenciatura
A residência pedagógica não é a primeira iniciativa para dar aos estudantes de licenciatura experiência prática na sala de aula. Desde 2002, uma resolução do Conselho Nacional de Educação (CNE) tornou o estágio na licenciatura uma condição obrigatória.

O documento prevê que, para receberem o diploma, os estudantes precisam cumprir "400 horas de estágio curricular supervisionado a partir do início da segunda metade do curso". O estágio é obrigatório inclusive para quem já é professor: nesses casos, a carga horária de estágio pode ser reduzida a até 200 horas. Ele pode ser realizado também em escolas particulares e em outras instituições, como museus, mas não prevê remuneração.

Maria Helena afirma, porém, que essa previsão de estágios configura uma "atividade mais burocrática". Segundo ela, "em geral as faculdades cumprem a lei, não há um processo de interação entre teoria e prática".

O ministro da Educação, Mendonça Filho, afirmou que, com a residência pedagógica, "nos anos finais de formação do professor eles [estudantes de licenciatura] terão uma vivência na sala de aula, a experiência do professor já tarimbado".

Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (Pibid)
O que é: O Pibid é uma iniciativa do governo federal que existe desde 2007 e dá bolsas para estudantes de licenciatura participarem de projetos de iniciação à docência, que envolvem atividades nas salas de aula de escolas públicas.

Como funciona: Ao G1, a assessoria de imprensa da Capes explicou que o Pibid não inclui necessariamente a experiência cotidiana de um professor na sala de aula, mas contempla projetos específicos de formação de docentes. Esses projetos são apresentados diretamente ao governo federal por professores universitários que, se aprovados, garantem um número de bolsas para os estudantes implementarem o projeto nas escolas.

O que muda no Pibid:
Número de bolsistas: Atualmente, 57 mil estudantes participam como bolsistas do Pibid; para o segundo semestre de 2018, serão abertas 45 mil vagas.

Período: A partir do segundo semestre de 2018, apenas estudantes que estejam cursando os dois primeiros anos da licenciatura poderão participar de projetos.
O que não muda no Pibid:

Valor das bolsas: Ao G1, a Capes confirmou que estudantes participantes do Pibid seguirão recebendo bolsas no valor de R$ 400. Os supervisores e coordenadores receberão bolsas mais altas, que chegam a até R$ 1.500, segundo Carlos Lenuzza, da Capes.
Redes escolares: Maria Helena confirmou que os estágios do Pibid serão realizados apenas em escolas públicas.
Programa de Residência Pedagógica
O que é: A residência pedagógica é um programa de estágios supervisionado para estudantes de licenciatura em escolas públicas. Ele foi anunciado pelo MEC em outubro de 2017 e apresentada com mais detalhes nesta terça-feira. A primeira turma de bolsistas terá início em agosto de 2018.

Como funciona: O novo programa tem um formato semelhante aos estágios supervisionados de estudantes universitários, mas, segundo o MEC, ele será mais qualificado e menos burocrático. Maria Helena afirmou, ainda, que as redes municipais e estaduais de ensino terão um papel maior no acompanhamento e na avaliação dos estudantes, uma função que, segundo ela, fica restrita às universidades no caso dos estágios obrigatórios.

Número de bolsistas: Para o segundo semestre de 2018, o MEC vai oferecer 45 mil bolsas para estudantes de licenciatura, a mesma quantidade do Pibid.

Valor das bolsas: Também o mesmo dos valores atuais e do próximo semestre do Pibid: R$ 400 para os estudantes de licenciatura; para os coordenadores, os valores chegam a até R$ 1.500 mensais.

Período: Oferecido a estudantes que estejam cursando a segunda metade da licenciatura, a residência pedagógica deverá ter duração de 18 meses e a mesma carga horária mínima obrigatória do estágio em licenciatura: 400 horas.

Redes escolares: Assim como o Pibid, a residência pedagógica está restrita às escolas públicas.

Cursos na Universidade Aberta do Brasil (UAB)
O que é: A UAB é um programa do governo federal mantido pela Capes que oferece cursos gratuitos de ensino superior na modalidade a distância.

Como funciona: Segundo a Capes afirmou ao G1, em agosto de 2018 e março de 2019 serão oferecidos cursos de mestrado profissional a docentes já formados e cursos de licenciatura a estudantes em formação ou professores que já dão aula, mas não têm o diploma.

Número de vagas: De acordo com o MEC, em agosto de 2018 e março de 2019 serão oferecidas um total de 100 mil vagas para cursos relacionados à formação de professores.

Fonte: G1