YouTube lança aplicação para competir com Spotify e Apple Music - Portugal
21
Dom, Out

YouTube lança aplicação para competir com Spotify e Apple Music - Portugal

YouTube lança aplicação para competir com Spotify e Apple Music - Portugal
Notícias EAD
TIPOGRAFIA

O YouTube vai lançar um serviço de streaming de música para competir com serviços como o Spotify e a Apple Music. A partir de dia 22 de Maio, utilizadores na Austrália, EUA, México e Nova Zelândia vão poder encontrar toda a música publicada no YouTube numa nova aplicação (para computador e telemóvel) que inclui conteúdo exclusivo de alguns artistas para ser visto e ouvido online, ou descarregado para mais tarde. 

O YouTube vai lançar um serviço de streaming de música para competir com serviços como o Spotify e a Apple Music. A partir de dia 22 de Maio, utilizadores na Austrália, EUA, México e Nova Zelândia vão poder encontrar toda a música publicada no YouTube numa nova aplicação (para computador e telemóvel) que inclui conteúdo exclusivo de alguns artistas para ser visto e ouvido online, ou descarregado para mais tarde. 

“Inclui canções originais, álbuns inteiros, milhares de playlists e rádios de artistas, além do enorme catálogo de remixes, covers, actuações ao vivo e vídeos de música do Youtube”, explicou, em comunicado, Elias Roman, director de produto do YouTube Music.

Tal como com o Spotify, inclui uma versão gratuita, com anúncios, e uma versão premium que custa 9,99 dólares. Os utilizadores que já paguem para o Google Play Music, o concorrente directo do Spotify criado pelo Google (que é dono do YouTube), têm acesso directo à nova aplicação. O mesmo acontece para os subscritores do YouTube Red, a versão paga do YouTube (sem anúncios, e com séries originais), que vai passar a chamar-se YouTube Premium.

O Spotify tem mais de 150 milhões de utilizadores activos (dos quais 70 milhões pagam uma assinatura mensal), e o Apple Music conta com mais de 50 milhões de utilizadores (destes, cerca de dez milhões estão a usar a versão que está disponível, gratuitamente, nos primeiros três meses de uso).

Fonte: Público Uol