Realidade Virtual reduz custos da indústria
19
Sex, Out

Realidade Virtual reduz custos da indústria

Realidade Virtual reduz custos da indústria
Notícias EAD
TIPOGRAFIA

O valor movimentado pelo mercado global de tecnologia de Realidade Virtual e de Realidade Aumentada deve chegar a US$ 162 bilhões em 2020, segundo projeção do IDC.

O valor movimentado pelo mercado global de tecnologia de Realidade Virtual e de Realidade Aumentada deve chegar a US$ 162 bilhões em 2020, segundo projeção do IDC.

Grande parte desse mercado está no desenvolvimento de soluções para indústrias dos mais diversos setores, da aeroespacial à fabricação de alimentos passando pelas empresas do setor automobilístico e da indústria de óleo e gás, sempre com grande potencial para a redução de custos.

Indústrias como a White Martins já vêm usando esse recurso no Brasil. Desde 2017, a empresa com sede na Zona Norte do Rio de Janeiro, utiliza o recurso de Realidade Virtual para realizar avaliações de segurança em seis unidades de produção espalhadas pelo país.

Cada planta teve suas imagens digitalizadas e mapeadas em 3D. Agora, equipados com óculos de RV, a equipe de engenheiros da empresa é capaz de checar falhas de segurança a 2.700 Km de distância, acompanhar obras e apontar correções a ser realizadas. Com isso, o custo das inspeções caiu 70%.

Realidade Virtual em treinamentos
O potencial de redução de custos para a indústria, no entanto, não se esgota aí. A Realidade Virtual também pode ser aplicada em treinamentos práticos, diminuindo a mobilização de recursos necessária para capacitar equipes de trabalhadores, e permitindo observar as reações dos funcionários em situações críticas.

Além de baratear o processo, o uso de simuladores virtuais pode ainda reduzir o risco operacional dos treinamentos e aumentar a eficiência operacional da capacitação.

A tecnologia também vem sendo aplicada com sucesso na indústria automotiva brasileira
Em Minas Gerais, o modelo Argo da Fiat, por exemplo, passou por mais de 45 mil horas de testes em simulação virtual, antes que o primeiro protótipo físico fosse construído.

Desse modo, a montadora conseguiu identificar uma série de falhas no projeto, que anteriormente só seriam percebidas na linha de montagem, provocando atrasos e aumento de custos.

Outras grandes montadoras como Volvo, Ford e Hyundai, entre outras, também aplicam essa tecnologia no processo de construção e até mesmo em vendas. Muitas montadoras vêm usando a Realidade Virtual para test drives simulados, em que o consumidor pode testar recursos disponíveis nos novos modelos.

VR Marketing
Por sinal, essa é outra vertente importante em que as grandes indústrias vêm aplicando as tecnologias de Realidade Virtual e Aumentada: o chamado VR Marketing. O Marketing de Realidade Virtual usa a tecnologia como ferramenta para criar engajamento e proporciona experiências diferenciadas aos consumidores.

Segundo o Google Zoo, instituto de pesquisas do Google, o VR Marketing é uma das tendências mais poderosas na comunicação de marcas e produtos para os próximos anos.

Com o apoio da tecnologia, as empresas passariam do estágio de elaborar narrativas (storytelling) para fazer com que os clientes vivam as narrativas desenvolvidas pelas indústrias (storyliving).

Como se pode ver, a Realidade Virtual chegou para ficar. E os óculos VR estarão cada vez mais presentes na cadeia industrial. Do chão de fábrica ao estande de vendas.

Fonte: Totvs