11 cursos para os fanáticos por Jogos Digitais
21
Qua, Ago

11 cursos para os fanáticos por Jogos Digitais

11 cursos para os fanáticos por Jogos Digitais
Notícias EAD
TIPOGRAFIA

Os Jogos Digitais nunca estiveram tão em alta como agora. Com o desenvolvimento da tecnologia e toda a facilidade de acesso, os games estão cada vez mais presentes na vida das pessoas. E o mercado brasileiro vem acompanhando todo esse crescimento.

Os Jogos Digitais nunca estiveram tão em alta como agora. Com o desenvolvimento da tecnologia e toda a facilidade de acesso, os games estão cada vez mais presentes na vida das pessoas. E o mercado brasileiro vem acompanhando todo esse crescimento.

Seja para jogadores, produtores-executivos, desenvolvedores ou ilustradores, as opções são muitas. Neste artigo, a Revista QB selecionou onze cursos que podem dar acesso a uma carreira com jogos. Mas antes, você vai perceber como essa área está em expansão.

Mais jogadores, mais empresas e mais dinheiro
O levantamento realizado pela Newzoo, consultoria especializada nesse mercado, mostra que o Brasil é o 13º maior mercado de games do mundo, sendo o maior da América Latina. Com crescimento ano a ano, o país possui 75,7 milhões de jogadores que geraram uma receita estimada em 1,5 bilhão de dólares em 2018.

É muita moeda, Mario!
A Newzoo ainda mostrou como o público brasileiro é um dos mais fanáticos pelos e-sports. Atrás apenas da China e dos Estados Unidos, o Brasil aparece em terceiro lugar com 7,8 milhões de "entusiastas de e-sports", ou seja, quem assiste a mais de um torneio por mês. Somados aos entusiastas, 9,9 milhões de "espectadores ocasionais" acompanham a modalidade pela TV uma vez por mês.

Com a alta audiência, a modalidade tem atraído olhares e muita grana patrocínios de grandes empresas. Consequentemente, mais dinheiro é envolvido, mais tempo reservado na televisão e maior arrecadação na premiação dos jogadores.

O Mundial de League of Legends (LoL) ilustra essa grandeza. A partida final da edição de 2018 registrou um recorde de 99,6 milhões de espectadores assistindo ao redor do planeta. A equipe campeã mundial - os chineses da Invictus Gaming - faturou 843 mil dólares, aproximadamente 3 milhões de reais.

Quem também têm se movimentado por causa dessa expansão do mercado são os estúdios de desenvolvedoras de games brasileiros.

Em 2018, o Ministério da Cultura divulgou o 2º Censo da Indústria Brasileira de Jogos Digitais. As pesquisas identificaram 1718 jogos produzidos para diversas plataformas por 375 desenvolvedoras ao redor do país. Este número é 182% maior em relação ao número de empresas apontadas no primeiro levantamento (142), realizado em 2014.

"Legal, os números são realmente altos. O dinheiro também é muito. Mas como eu vou entrar em um mercado desse?
Os fanáticos por LoL, Counter Strike, Call of Duty, PUBG, Fifa, Mario Bros e tantos outros games podem transformar as horas jogando em uma profissão que envolva os jogos de alguma forma, seja no desenvolvimento, animação ou marketing.

Veja os onze cursos para os fanáticos por games:

1. Jogos Digitais
O curso de Jogos Digitais capacita os estudantes para desenvolverem jogos para as diferenças plataformas digitais. Esse curso passa por todas as etapas de criação de um game. Desde o roteiro, da criação de personagens e do cenário digital, até as estratégias, processos e finalização dos jogos. É um curso tecnólogo que pode ser feito em um ou dois anos. 

2. Design de Games
Também trabalhando com projeto e criação, esse profissional desenvolve jogos para entretenimento, educação, publicidade e empresas. Ele estará apto a estudar as tendências de mercado e do público-alvo. 

3. Design Gráfico
Esse profissional pode ser responsável pela identidade visual dos games, criando os projetos, cenários e personagens, fazendo que o visual transforme a jogabilidade mais atraente para os usuários. Ao final do curso, o aluno será um profissional preocupado com a forma, as características funcionais, a estrutura e a estética de um produto. 

4. Artes Visuais
O profissional bacharel em Artes Visuais pode trabalhar como ilustrador e desenhista de um jogo. Assim como o designer gráfico, a principal preocupação dele é com a identidade visual do produto para que agrade os jogadores. 

5. Engenharia de Software
O engenheiro de software pode trabalhar com o desenvolvimento e a programação online dos games. Atualiza os jogos para novos modelos e adapta para diferentes plataformas. Ele identifica problemas e oportunidades, cria protótipos, valida novas tecnologias e projeta aplicativos.

6. Tecnologia da Informação
Esse profissional pode trabalhar na estrutura do produto e na coordenação das equipes. Também é um dos responsáveis pela criação, planejamento e otimização dos jogos. O curso tecnólogo tem duração média de dois anos. 

7. Ciência da Computação
O curso de Ciência da Computação forma profissionais qualificados para desenvolver programas e sistemas de informática, desde o planejamento do projeto até a implantação e gerenciamento do software. Com duração de quatro anos, o cientista da computação pode usar seus conhecimentos para trabalhar com games.

8. Engenharia de Computação
Os engenheiros de computação são habilitados para planejar, desenvolver e programar softwares e hardwares, e podem levar esse conhecimento para o mercado de jogos. A formação é mais longa, com duração média de cinco anos.

9. Marketing
O curso de Marketing forma profissionais capazes de detectar e aproveitar as oportunidades do mercado, traçar e executar estratégias para melhorar a imagem de uma marca ou produto. Para jogos, deve criar estratégias para lidar com o público e atrair jogadores. O curso tem duração de quatro anos, em média. 

10. Publicidade e Propaganda
Como publicitário, o profissional pode traçar estratégias para a divulgação da marca e conteúdos atrativos do jogo. O curso de Publicidade e Propaganda tem duração de quatro anos. 

11. Jornalismo
Com a grande expansão do e-sports, grandes emissoras e portais esportivos começaram a transmitir eventos. Assim, coberturas de torneios e programas sobre video games estão cada vez mais presentes na grade desses canais. Os jornalistas que têm afinidade com o assunto podem se encaixar nessa área. 

Fonte: Quero Bolsa