Campus virtual: benefícios e desafios desse novo espaço de ensino
21
Qua, Ago

Campus virtual: benefícios e desafios desse novo espaço de ensino

Campus virtual: benefícios e desafios desse novo espaço de ensino
Notícias EAD
TIPOGRAFIA

Um mundo de descobertas, conhecimento e oportunidades está a poucos cliques de nós. Saiba tudo sobre o campus virtual e as vantagens e desvantagens desse espaço de ensino on-line.

Um mundo de descobertas, conhecimento e oportunidades está a poucos cliques de nós. Saiba tudo sobre o campus virtual e as vantagens e desvantagens desse espaço de ensino on-line.

Um dos grandes feitos da Era Digital certamente foi criar uma rede de conexões que tornou a distância geográfica bem menos relevante. Agora é possível adquirir conhecimento no conforto da nossa própria casa e estudar em uma instituição de ensino renomada mesmo que ela esteja a centenas de quilômetros de distância.

O campus virtual é um dos espaços de aprendizado possibilitados pela Internet. Nessas plataformas on-line, disponibilizadas por uma série de universidades e faculdades no Brasil, o aluno pode acessar aulas, exercícios e materiais didáticos e realizar provas, bem como encontrar várias informações importantes sobre a faculdade e a sua situação no curso.

Cresce o ensino a distância no Brasil
No início de 2017, foi regulamentada a modalidade de ensino a distância (EAD) no Brasil, diminuindo as exigências para que instituições de ensino superior pudessem ofertar cursos não presenciais. Um ano depois, o número de polos de EAD autorizados no país já havia crescido 133%, chegando a um total de 15.394.

Mas quem pensa que só cursos a distância fazem uso do campus virtual está bastante enganado. Cada vez mais cursos presenciais usam esse espaço para disponibilizar aulas e materiais de apoio para os estudantes, que, por sua vez, frequentemente podem interagir com o professor on-line, assim como entregar trabalhos por meio da plataforma. Isso significa passar menos tempo se deslocando até a universidade simplesmente para entregar uma tarefa – e mais tempo disponível para realizar essa tarefa.

No ensino superior, há três diferentes formatos de cursos que usam o campus virtual:

Curso a distância;

curso semipresencial;

curso presencial com atividades a distância.

Com as novas regras do Ministério da Educação (MEC), que, em dezembro de 2018, aumentou de 20% para 40% a quantidade de disciplinas de cursos presenciais do ensino superior que poderão ser ofertadas a distância, o uso do campus virtual por cursos presenciais tende a crescer ainda mais no país nos próximos anos.

Campus virtual: o lado negativo
Um dos principais argumentos contra a educação a distância é o de que os cursos de EAD do ensino superior apresentam resultados piores no Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade) do que os presenciais. Há também o receio de que a recente expansão de polos de ensino a distância, que desde 2017 podem ser abertos sem autorização prévia do MEC, prejudique a qualidade e a fiscalização da educação oferecida por tais polos.

As empresas, por outro lado, têm aceitado os diplomas de graduação e pós-graduação a distância. E não só: muitas têm criado os seus próprios campus virtuais para disponibilizar conhecimentos e treinamentos para os seus empregados. No entanto, algumas áreas não aceitam tão bem essa modalidade de ensino, especialmente a área da saúde, na qual as atividades práticas e o contato com a comunidade são considerados essenciais.

Quando se trata do ensino médio, a polêmica em relação à educação a distância é ainda maior. Especialmente em um momento em que cada vez mais escolas buscam novas estratégias de ensino, que motivem os alunos e estimulem a participação, a proatividade, o diálogo e a integração. Desde 2018, é permitido que até 20% dos cursos diurnos do ensino médio sejam realizados a distância. No caso dos cursos noturnos, o limite é de 30%.

Para além da discussão a respeito da qualidade da educação e das estratégias mais eficientes de ensino, o campus virtual enfrenta ainda um outro desafio: o da usabilidade. A plataforma de educação a distância precisa ter em mente usuários com diferentes competências digitais e deve oferecer uma boa experiência a todos os seus alunos.

As instituições que se propõem a ofertar cursos de EAD precisam investir fortemente no seu campus virtual, tanto nos seus conteúdos quanto na interface da plataforma, na sua responsividade e nas possibilidades de interação e solução oferecidas aos alunos. Afinal, nenhum estudante quer gastar em um campus virtual lento e falho o tempo economizado em deslocamento até a universidade.

Fonte: Universia Brasil