A Informática na Educação
19
Sex, Abr

A Informática na Educação

Tutoriais e Dicas Moodle
TIPOGRAFIA

O computador surgiu como um grande divisor de águas neste mundo de constante mutação. Ele pode ser considerado uma invenção tecnológica relativamente recente, levando-se em conta o período de tempo que o homem vem desenvolvendo esforços no sentido de processar informações de forma cada vez mais eficiente.

O computador surgiu como um grande divisor de águas neste mundo de constante mutação. Ele pode ser considerado uma invenção tecnológica relativamente recente, levando-se em conta o período de tempo que o homem vem desenvolvendo esforços no sentido de processar informações de forma cada vez mais eficiente.

O primeiro microcomputador surgiu em 1975 com o advento da informática.  Apresenta inúmeras vantagens em relação às demais tecnologias, que o antecedem, pois é um recurso audiovisual interativo que obedece ao ritmo próprio de cada usuário. Permite interagir com diversas mídias e demais recursos tecnológicos como o rádio, televisão, vídeo. Portanto, é um recurso perfeito para trabalhar sons e ainda possibilitar operações cognitivas, a partir do uso dos recursos visuais, conforme as descrições de seus compassos e medidas sonoras.

Sendo assim, os computadores por si mesmos, suprem atividades de diferentes mídias e contemplam necessidades do mundo globalizado em que vivemos, em constante mutação e interação. Por meio deles, nós podemos desenvolver simultaneamente várias habilidades, facilitando a formação de um indivíduo polivalente e multifuncional.

O computador não foi criado para atender às especificidades educacionais, mas foi visto por alguns educadores como um potente recurso para motivar seus alunos, podendo alterar a relação pedagógica entre educador e educando. Através do uso desta tecnologia e de seus softwares no âmbito educacional, pode-se trazer um maior encantamento à escola, novas possibilidades de ganho na relação de ensino-aprendizagem, com dinamismo, inovação e poder de comunicação.

Foi em meados década de 50, com o início da comercialização dos primeiros computadores com capacidade de programação e armazenamento de informações, que surgiram as primeiras experiências desta máquina no cenário educacional. Para Valente (1999; p 11), “a utilização de computadores na educação é tão remota quanto o advento comercial dos mesmos”.

Foi Skinner[1] quem idealizou uma máquina onde as informações eram armazenadas em seqüência e, posteriormente, transmitidas para os alunos, conhecida como ‘máquina de estudar’. Conceito semelhante foi utilizado nos primeiros computadores usados em educação como, por exemplo, em 1958 pelo Centro de Pesquisa Watson da IBM e na Universidade de Illenois – Coordenated Science Laboratory.

Atualmente, o uso do computador na educação aparece de diversas maneiras e de formas diversificadas (permite à comunicação, a pesquisa, a criação de desenhos, efetua cálculos, simular fenômenos, dentre outras), não apenas como um simples transmissor de informação ao aluno, mas podendo ser utilizado no enriquecimento do ambiente escolar de aprendizagem e no auxilio do educando na construção do conhecimento.

No Brasil, o interesse por parte dos educadores, para utilização de tal mídia no âmbito educacional, surgea partir das motivações que ocorriam em países como EUA e França, que acabaram influenciando nossos professores universitários. Foi nos EUA, no começo dos anos 70, que se deu início ao uso da informática na educação em uma pequena quantidade de escolas e com o mínimo de recursos tecnológicos, tempos depois, este mesmo fato ocorreu de maneira semelhante no Brasil.

Foi a partir da criação de softwares de instrução programada, auxiliado por computadores[2], que a informática na educação começou a dar seus primeiros passos no desenvolvimento do que fora idealizada por Skinner, na máquina de estudar; esses softwares eram produzidos por empresas como a IBM, e utilizados em especial nas universidades.

Nessa linha de software, temos o Plato como um dos mais conhecidos e bem-sucedidos, mas era usado apenas em universidades, pois foi desenvolvido para utilização em computadores de grande porte, restringindo seu uso apenas às instituições de ensino superior.

Nosanos 80, as dificuldades até então visivelmente existentes com a utilização dos computadores de grande porte, tanto na produção de material instrucional como nadisseminação dos programas de softwarenas escolas secundárias, ocasionaram o surgimento dos microcomputadores, permitindo sua popularização nas demais instituições de ensino e possibilitandoum aumento expressivo da produção de Computer-Aided Instrution(CAI) ou Instrução Auxiliada por Computador, como jogos educativos, tutoriais, etc.. De acordo com Valente (1999, p. 14):

Estudos feitos pelo The Educational Products Information Exchange (EIPIE) Institute, uma organização do Teachers College, da Universidade de Columbia, foram identificados em 1983 - três anos após a comercialização dos primeiros microcomputadores – mais de 7 mil pacotes de software educacionais no mercado, sendo que 125 eram adicionados a cada mês.

Os microcomputadores permitiam o uso de ferramentas auxiliares para soluções de problemas das produções de texto, controle de pessoas em tempo real, fazendo com que o computador atuasse na complementação do aperfeiçoamento e na mudança da educação. Isto levou ao enriquecimento doprocesso de ensino/aprendizagem, em que a linguagem LOGO era sua proposta mais marcante, segundo Valente (idem).

O LOGO foi implementado em computadores de médio e grande porte, em meados de 1967, tendo seu uso inicial restrito a universidades e laboratórios de pesquisa, assim como o Plato, até o surgimento dos microcomputadores.. Esta linguagem tornou-se, porém, uma nova alternativa para o uso do computador na educação, tendo como base a teoria de Piaget, mostrando a eficiência de seu uso na construção do conhecimento.

Diante desse panorama, podemos perceber visivelmente que a tecnologia computacional altera quase todas as atividades científicas, econômicas e empresariais, além do conteúdo educacional que também segue este caminho, fazendo parte do cenário histórico da evolução computacional com fins educativos. Para Valente (1999, p. 47):

O ensino assistido ou auxiliado por computador parte do pressuposto de que a informação é a unidade fundamental no ensino e, portanto, preocupa-se com os processos de como adquirir, armazenar, representar e, principalmente transmitir informações. Nesse sentido, o computador é visto como uma ferramenta poderosa de armazenamento, representação e transmissão de informação.



[1] Burrhus Frederic Skinner, psicólogo e idealizador da máquina de estudar, tinha como proposta a instrução programada apresentada de maneira impressa , mas sua idéia nunca se tornou popular devido à dificuldade apresentada à produção do material instrucional, já que os materiais existentes não possuíam padronização, dificultando sua disseminação.

[2] Método de ensino que surgiu na década de 50 e queconsiste na organização do material a ser ensinado em segmentos logicamente encadeados, chamados “módulos”.